14 de dezembro de 2015

História - Exercícios sobre a Era Vargas

1. (UNESP 2014) Examine a charge do cartunista Théo, publicada na revista Careta em 27.12.1952.  
Getúlio: — Ser pai dos pobres dá mais trabalho do que ser Papei Noel! Você só se amofina no Natal: a mim eles chateiam o ano inteiro!                                  
(Isabel Lustosa. História de presidentes, 2008.)  
O apelido de “pai dos pobres”, dado a Getúlio Vargas, pode ser associado 
 a) ao autoritarismo do presidente diante dos movimentos sociais, manifesto na repressão às associações de operários e camponeses. 
b) aos esforços de negociação com a oposição, com a decorrente distribuição de cargos administrativos e funções políticas.  
c) ao caráter popular do regime, originário de uma revolução social e empenhado no combate à burguesia industrial brasileira.  
d) à política de concessões desenvolvida junto a sindicatos, como contrapartida do apoio político dos trabalhadores.  
e) à supressão de legislação trabalhista no país, que obrigava o governo a agir de forma assistencialista. 

2. (Cesgranrio) O regime político conhecido como Estado Novo implantado por golpe do próprio Presidente Getúlio Vargas, em 1937, pode ser associado à(ao):
a) radicalização política do período representada pela Aliança Nacional Libertadora, de orientação comunista, e pela Ação Integralista Brasileira, de orientação fascista.
b) modernização econômica do país e seu conflito com as principais potências capitalistas do mundo, que tentavam lhe barrar o desenvolvimento.
c) ascensão dos militares à direção dos principais órgãos públicos, porque já se delineava o quadro da Segunda Guerra Mundial.
d) democratização da sociedade brasileira em decorrência da ascensão de novos grupos sociais como os operários.

e) retorno das oligarquias agrárias ao poder, restaurando-se a Federação nos mesmos moldes da República Velha.

3) O general Góis Monteiro, Ministro da Guerra de Getúlio Vargas, afirmava em uma carta dirigida ao presidente, em 1934: "O desenvolvimento das idéias sociais preponderantemente nacionalistas e o combate ao estadualismo (provincialismo, regionalismo, nativismo) exagerado não devem ser desprezados, assim como a organização racional e sindical do trabalho e da produção, o desenvolvimento das comunicações, a formação das reservas territoriais e milícias cívicas, etc., para conseguir-se a disciplina intelectual desejada e fazer desaparecer a luta de classes, pela unidade de vistas e a convergência de forças para a cooperação geral, a fim de alcançar o ideal comum à nacionalidade". No trecho dessa carta estão expressos pontos centrais do regime instalado após a Revolução de 1930, entre elas:
a) organização de milícias estaduais, regulamentação das relações trabalhistas e educação.
b) estímulo à autonomia dos Estados, organização de milícias estaduais e nacionalismo.
c) organização de milícias estaduais, centralização política e educação.
d) centralização política, regulamentação das relações trabalhistas e nacionalismo.
e) estímulo à autonomia dos Estados, regulamentação das relações trabalhistas e educação.

4) "Em plena Avenida Rio Branco, .nas tardes de Sábado, pegávamos à força alguns atrevidos integralistas que se apresentavam fantasiados de camisa verde e os despojávamos das calças, largando-os depois, em plena via pública, apenas em fraldas de camisas. Não queriam eles andar de camisas verdes? Nós lhes fazíamos a vontade..." (Agildo Barata )

A cena acima descrita refere-se aos:
a) enfrentamentos durante os comícios entre os integrantes da frente tenentista com a militância da Aliança Nacional Libertadora (ANL)
b) confrontos de rua entre os integralistas e os tenentistas;
c) enfrentamentos públicos entre os integrantes da Aliança Nacional Libertadora (ANL) e os integralistas;
d) enfrentamentos entre os militantes da Aliança Libertadora Nacional (ALN), dirigida por Agildo Barata, e os integralistas de Plínio Salgado;
e) confrontos públicos entre militares tenentistas e os comunistas da Aliança Libertadora Nacional (ALN).

5) Sobre a política externa desenvolvida pelo governo brasileiro durante o Estado Novo (1937-1945), é correto afirmar:
a) Um dos objetivos centrais da política externa do período foi a procura de recursos, em forma de capital e tecnologia, para promover a industrialização do país. A estratégia adotada foi a da barganha com Estados Unidos e Alemanha.
b) A prioridade da política externa do período foi a de encontrar mercados para os produtos brasileiros de exportação, especialmente o café, de forma a contornar os efeitos da crise econômica deflagrada em 1929. A estratégia adotada foi a do alinhamento incondicional com a Alemanha.
c) Para atender ao seu principal objetivo - a obtenção de recursos externos para promover a industrialização do país - Vargas optou desde 1939 pelo alinhamento incondicional aos Estados Unidos, então maior potência ocidental.
d) O alinhamento incondicional aos Estados Unidos foi a estratégia adotada para garantir um novo mercado consumidor para o café brasileiro. Em troca do apoio às proposições norte-americanas nos organismos internacionais, o Brasil obteve isenção de taxas alfandegárias para o café exportado para os Estados Unidos.
e) As relações diplomáticas nesse período caracterizaram-se pelo alinhamento incondicional à Alemanha, em função da convergência ideológica que aproximava a ditadura varguista do nazismo alemão.
6) “Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desen-cadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, pra que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes (...) Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aber-to. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.” Carta-Testamento de Getúlio Vargas
Sobre o longo, conturbado e polêmico período de governo de Getúlio Vargas, é CORRETO afirmar que:
01. a despeito dos seus críticos, é possível dizer que Getúlio Vargas sempre governou de forma democrática, defendendo os interesses do povo e se colocando contra os interesses dos grandes empresários e banquei-ros, como se lê na sua carta-testamento.
02. em 1934, Getúlio foi eleito presidente por sufrágio indireto. Seu mandato deveria durar até 1938, quando seriam realizadas eleições diretas para a presidência. (C)
04. em 1937, por meio de um golpe de estado, inaugurou-se o Estado Novo, pondo fim à campanha para presidente que estava em pleno curso. Terror policial, tortura e prisões ocorreram até 1945. (C)
08. em 1950, Vargas foi eleito presidente da república, pela primeira vez pelo voto direto. Esse período na presidência foi marcado por um discurso fortemente nacionalista, pelos constantes apelos aos trabalhadores e pelos embates com uma oposição, como o próprio Vargas, nem sempre democrática.(C)
16. Getúlio Vargas, oriundo da oligarquia gaúcha, chegou ao poder com um discurso an-tioligárquico, através de um movimento armado, em 1930.(C)
Total= 02+o4+08+16=30

7) (Uff ) “Visto que, de fato, a Constituição de 1946 estabeleceu normas e medidas para a instalação de uma estrutura democrática no país, dando ensejo a uma abertura do processo político nos dezoito anos subsequentes, ao observador mais descuidado a redemocratização pode parecer mais radical do que na realidade o foi.” SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964). São Paulo: Alfa-Omega, 1976, p. 105. Com base nas afirmações contidas no texto, é possível afirmar que
a) a redemocratização iniciada em 1945 perdeu sua radicalidade por ter sido apenas um ritual político, vazio de efetivos partidos.
b) a redemocratização de 1945 só pôde existir em função da criação de três novos grandes partidos políticos, totalmente independentes de vínculos com o Estado Novo: o PSD, a UDN e o PTB.
c) o retorno do pluripartidarismo e de eleições diretas foi superposto à estrutura herdada do Estado Novo, marcada pelo sindicalismo corporativista e pelo sistema de interventorias. 
d) a redemocratização não foi radical devido à preponderância que teve, junto a ela, a União Democrática Nacional (UDN), partido formado com o beneplácito de Vargas.
e) a hipertrofia do Poder Legislativo foi uma das consequências da redemocratização.

8) (FGV) Em 21 de dezembro de 1941, Getúlio Vargas recebeu Osvaldo Aranha, seu ministro das Relações Exteriores, para uma reunião. Leia alguns trechos do diário do presidente: “À noite, recebi o Osvaldo. Disse-me que o governo americano não nos daria auxílio, porque não confiava em elementos do meu governo, que eu deveria substituir. Respondi que não tinha motivos para desconfiar dos meus auxiliares, que as facilidades que estávamos dando aos americanos não autorizavam essas desconfianças, e que eu não substituiria esses auxiliares por imposições estranhas.” (VARGAS, Getúlio, Diário. São Paulo/Rio de Janeiro, Siciliano/ Fundação Getúlio Vargas, 1995, vol. II, p. 443.)
A respeito desse período, podemos afirmar:
a) As desconfianças norte-americanas eram completamente infundadas porque não havia nenhum simpatizante do nazifascismo entre os integrantes do governo brasileiro.
b) Com sua política pragmática, Vargas negociou vantagens econômicas com o governo americano e manteve em seu governo simpatizantes dos regimes nazifascistas.
c) Apesar das semelhanças entre o Estado Novo e os regimes fascistas, Vargas não permitiu nenhum tipo de relacionamento diplomático entre o Brasil e os países do Eixo.
d) No alto escalão do governo Vargas havia uma série de simpatizantes do regime comunista da União Soviética e de seu líder Joseph Stalin.
e) As pressões do governo norte-americano levaram Vargas a demitir seu ministro da Guerra, o general Eurico Gaspar Dutra, admirador dos regimes nazifascistas.

9) Que função teve o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda) no governo do Estado Novo?
a) criminalizar aqueles que apoiavam o nazismo, o fascismo e os países totalitários da Europa.
b) construir grandes redes de jornais e revistas por todo o país com irrestrita liberdade de expressão.
c) construir uma máquina de propaganda que tivesse impacto apenas no exterior.
d) difundir uma imagem paternalista de Getúlio Vargas, enaltecendo-o como grande líder das massas.
e) difundir uma imagem negativa de Getúlio Vargas, mostrando todo o seu viés autoritário.

10) No período do Estado Novo, Vargas impulsionou o desenvolvimento da indústria de base no Brasil. Para tanto, foi necessário:
a) o desmantelamento do setor agroindustrial e a desapropriação dos grandes latifúndios.
b) o enfraquecimento do controle estatal e o direcionamento da atividade industrial para o setor privado.
c) a criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) e a Companhia Hidrelétrica de São Francisco.
d) a criação de comunas rurais ao longo do sertão brasileiro.
e) a criação de laços econômicos com companhias latino-americanas, visando assim a uma associação pan-americanista industrial.

11) Durante o governo de Getúlio Vargas, eclodiu em São Paulo um movimento que a história consagrou com o nome de Revolução Constitucionalista de 1932 Os revoltosos exigiam:
a) a participação da elite cafeeira no governo
b) aprovação de leis trabalhistas
c) extinção da censura à imprensa
d) convocação de uma Assembleia para a elaboração de uma Constituição.
e) permissão para o funcionamento de sindicatos.

12) Conduzido ao poder em caráter provisório em 03 de novembro de 1930, Vargas tomou uma série de decisões centralizadoras que aproximaria seu governo à uma ditadura. Entre estas podemos apontar, EXCETO:
a) Suspensão da Constituição de 1891;
b) Fechamento do Congresso e das casas legislativas estaduais e municipais;
c) Adoção de ideologias de cunho liberal, principalmente no setor econômico;
d) Indicação de interventores (governadores) subordinados ao governo federal;
e) Criação do Ministério do Trabalho.

13) O desenvolvimento tecnológico dos anos 20 e 30 fez surgir um importante meio de comunicação de massa, o rádio que permitiu que a mesma informação chegasse a um grande número de ouvintes ao mesmo tempo. Getúlio Vargas governou o Brasil de 1930 a 1945, utilizou amplamente esse veículo com o objetivo de:
a) divulgar as ideias democráticas implantados a partir do Estado Novo;
b) desmistificar o pensamento americano em relação ao Brasil;
c) combater diariamente os seus adversários políticos e empresariais;
d) popularizar o regime por ele implantado;
e) difundir a cultura popular brasileira.

14) UFMG - Em 1934, Getúlio Vargas criou o Departamento de Propaganda e Difusão Cultural junto ao Ministério da Justiça, esvaziando o Ministério da Educação não só da propaganda, mas também do rádio e do cinema. A decisão tinha como objetivo colocar os meios de comunicação de massa a serviço direto do poder executivo, iniciativa que tinha inspiração direta no recém-criado Ministério da propaganda alemão. Este foi o embrião do DIP [...] Em 1939, as atribuições do extinto Departamento de Propaganda e Difusão Cultural passaram para o Departamento de Imprensa e Propaganda, criado nesse ano.
CAPELATO, Maria Helena. Propaganda Política e Controle dos Meios de Comunicação. In: PANDOLFI, Dulce. (Org.).
Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1999. p. 172.
 Com base nessas informações, é correto afirmar que, durante o Estado Novo, o Departamento de Imprensa e Propaganda-DIP foi responsável pela:
a) ampliação do raio de atuação do Estado e das suas formas de intervenção no âmbito da cultura.
b) desativação do sistema de comunicação encarregado da difusão das diretrizes econômicas do regime.
c) restrição à utilização do rádio e da imprensa para a difusão da propaganda política estado-novista.
d) utilização da cultura como um instrumento a serviço da divulgação dos ideais democráticos.

Fonte: Navegando com Pittan, Mestres da História, Exercícios Brasil Escola, Blog da professora Socorro Macedo

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...