26 de agosto de 2017

Questões sobre pobreza e fome no mundo globalizado

1) Observe a tabela "Porcentagem de população em condições de pobreza (por região), e responda às questões.
a) Identifique as duas regiões mais pobres do mundo, respectivamente, conforme a tabela.
b) Consulte um atlas geográfico e indique dois países que pertencem às duas regiões mais pobres do planeta.
c) A erradicação da fome também é uma Meta do Desenvolvimento do Milênio. Elabore uma redação que aborde as causas e as consequências da fome no mundo.

2) Responda às questões sobre os principais indicativos socioeconômicos.
a) Diferencie PIB de PNB.
b) Qual é o indicador mais completo para analisar um país? Justifique.

3) Faça uma pesquisa em grupo sobre o seguinte tema: Combater a Aids é uma das Metas do Desenvolvimento do Milênio. Após a conclusão da pesquisa, o professor vai designar, por meio de sorteio, uma das questões a seguir a cada grupo, que deverá explica-la aos demais alunos.
a) Qual é a causa da Aids? Relacione a fome com o aumento do número de mortes causadas por essa doença.
b) De que maneira ela pode ser contraída? Analise como regras de higiene podem estar relacionadas ao aumento do número de casos de Aids.
c) Quais são as formas de prevenção contra a Aids?
d) Relacione o analfabetismo à Aids.
e) Por que é difícil encontrar o remédio para combater essa doença?
f) Qual é a diferença entre ser soropositivo e ter Aids?

Observações sobre o presente trabalho:

* Esse trabalho foi proposto e executado nas aulas de geografia dos 2ºs anos do ensino médio no mês de agosto de 2017 como parte do conteúdo de "A regionalização do espaço geográfico mundial". 
* Foram identificados e analisados os indicadores socioeconômicos  utilizados para analisar o nível de desenvolvimento dos países do mundo.
* As disciplinas envolvidas nessa atividade foram: geografia, língua portuguesa e biologia.
* A Declaração do Milênio foi proposta para ir do ano 2000 até 2015, no entanto as metas não foram cumpridas até o final de 2015.
* No decorrer dos dias serão publicados aqui no blog as redações dos alunos feitas sobre as causas e consequências da pobreza e da fome no mundo.

Fonte: ALMEIDA, Lúcia Marina Alves de; RIGOLIN, Tércio Barbosa. Fronteiras da globalização. São Paulo: Ática, 2013.

21 de agosto de 2017

Congresso de Viena (resumo)

O que foi o Congresso de Viena

O Congresso de Viena foi uma conferência diplomática, ocorrida na cidade de Viena (capital da Áustria) entre setembro de 1814 e junho de 1815.

Que países participaram desta conferência

Contou com a participação de representantes das grandes potências europeias, que haviam vencido a França de Napoleão em 1814. Participaram do Congresso de Viena representantes da França, Império Austríaco, Reino Unido, Reino da Prússia, Império Russo, do Papa Pio VII, Reino da Sardenha, República de Gênova, Reino da Suécia e Confederação dos Cantões da Suíça.

Objetivos do Congresso de Viena

- Redação e estabelecimento das condições de paz na Europa, após da derrota de Napoleão.
- Redefinição do mapa político europeu, que havia sido modificado nas conquistas de Napoleão Bonaparte.
- Restauração ou permanência das monarquias absolutistas em grande parte das nações europeias.
- Combate aos ideais políticos liberais e aos movimentos democráticos que ganhavam força na Europa sob a inspiração da Revolução Francesa.
- Reprimir os movimentos emancipacionistas, que ganhavam força nas colônias europeias na América, inspirados pelos ideais iluministas e pela Revolução Francesa.

O que foi a Santa Aliança

A Santa Aliança foi um acordo envolvendo a cooperação militar das monarquias russa, prussiana e austríaca. O objetivo fundamental desse acordo era impedir a deflagração de outros movimentos de caráter liberal pela Europa e o combate das lutas de independência estabelecidas no continente americano.

Mapa da Europa após o Congresso de Viena
Fonte:
http://www.suapesquisa.com/resumos/congresso_viena.htm
http://www.coladaweb.com/historia/congresso-de-viena
http://exercicios.brasilescola.uol.com.br/exercicios-historia/exercicios-sobre-congresso-viena.htm

20 de agosto de 2017

A produção do espaço político

A história da humanidade é marcada por conflitos. Mas foi somente a partir de 1815, com o Congresso de Viana, que as nações buscaram constituir fóruns multilaterais para estabelecer acordos de paz e discutir a ordem internacional do pós-guerra.

Foi, sobretudo, a partir do século XIX que os conhecimentos acerca dos territórios e de seus recursos naturais passaram a legitimar a ação dos Estados. Conhecer os fatores econômicos, demográficos e territoriais que podem influenciar a política e as relações internacionais tornou-se cada vez mais importante. Assim, a geopolítica constitui-se como um campo de estudos e práticas úteis aos Estados nacionais no estabelecimento de seus interesses territoriais e estratégias diplomáricas ou de guerra.

O século XX, com duas guerras mundiais e a Guerra Fria, mostrou que o caminho para o consenso geopolítico é difícil e que as soluções encontradas em longas negociações podem não agradar a todos os países envolvidos.

Questões para refletir
1. Cite dois conflitos motivados pelo nacionalismo.
2. Nos dias atuais, como os países debatem e solucionam questões internacionais?

Fonte: BALDRAIA, André; SAMPAIO, Fernando dos Santos; SUCENA, Ivone Silveira. Ser protagonista: geografia, 3º ano. 3 ed. São Paulo: SM, 2016.
Imagem: Manifestações na Ucrânia em 2014 (internet).

18 de agosto de 2017

Desabafo de uma professora

Uma sala de aula nunca estará imune aos conflitos, principalmente quando professores são jogados contra a sociedade pelos próprios governos e somos acusados pelos gastos públicos, pela má qualidade de ensino e por tudo de ruim que acontece no país (só que governos nunca assumem as suas más administrações).

Alguém haverá de dizer, "não liga!". Só que não somos máquinas onde existe o botão de ligar e desligar e fica tudo bem imediatamente. Mesmo sendo forte e cercada por pessoas fortes e determinadas às fico pensando qual é realmente o meu papel em toda essa história. Eu não quero simplesmente despejar um conteúdo em sala de aula, quero ajudar a modificar vidas, tentar despertar a solidariedade e a compaixão, o respeito pelo próximo, tentar fazer do lugar onde convivo e trabalho um lugar melhor. Mas nem sempre é fácil...

Acho que hoje nós, professores estaduais, vivemos o dilema de não saber qual é realmente o nosso papel. Por que uma profissão onde as pessoas estudam por tantos anos e se transformam em pesquisadores para se manterem atualizados, é tão desvalorizada? Por que não temos equiparação salarial com outras classes que estudaram tanto quanto nós?

A consequências do descaso com a educação e com os docentes é que poucas pessoas querem ser professores no nosso país. Tem muitos professores excelentes que estão simplesmente desistindo e abandonando a carreira porque não estão conseguindo se sustentar, estão trabalhando em salas superlotadas, enfrentam a violência dentro das escolas e outros problemas mais. Então, não há estímulo e nem motivação.

10 de agosto de 2017

Pobreza e fome no mundo globalizado

A Declaração do Milênio
O processo de globalização evidenciou uma grande desigualdade socioeconômica, que se manifesta de várias formas, seja em zonas rurais, seja em zonas urbanas. Isso acontece porque também são desiguais os acessos ao capital, aos recursos naturais, à tecnologia, à educação de qualidade, à água potável, aos serviços de saúde e ao saneamento básico. Por essa razão, precisamos considerar as desigualdades socioeconômicas como algo que vai muito além da distribuição de bens materiais e que se manifesta nas várias formas de pobreza e em sua principal consequência: a fome.
Para atenuar essas diferenças e melhorar a vida das pessoas no século XXI, a Organização das Nações Unidas (ONU) elaborou a Declaração do Milênio.
Segundo o Banco Mundial, cerca de 1 bilhão de pessoas saíram da situação de extrema pobreza entre 1995 e 2015. No entanto, os avanços para atingir os Objetivos do Milênio têm sido muito desiguais nas diferentes regiões do mundo: existem grandes áreas na África subsaariana e no Sul da Ásia onde os Objetivos dificilmente serão alcançados.

A fome no mundo

Segundo relatório da ONU e União Europeia de 2016, são cerca de 108 milhões de pessoas no mundo passam fome. Mas esse número é bem maior. Um estudo do Instituto Internacional de Investigação sobre Políticas Alimentares (IFPRI, na sigla em inglês), mostra que pelo menos 1 bilhão de pessoas sofrem de desnutrição no planeta. A situação é considerada grave na América Latina, especialmente na Bolívia, na Guatemala e no Haiti. A pesquisa mostrou que quase metade dos afetados pela desnutrição são crianças. Os níveis mais altos se encontram na África Subsaariana e  no sul da Ásia.
A fome do mundo é causada pela combinação de preços altos, conflitos e condições climáticas extremas.
Em março, a ONU fez um alerta de que o mundo vive a mais grave crise humanitária desde a fundação da entidade, em 1945. Segundo a organização, até julho de 2017 mais de 20 milhões de pessoas corriam sério risco de morrer de fome. A crise afeta principalmente as populações do Iêmen, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, países da África e do Oriente Médio.
Há algo que une os quatro países mais ameaçados pela crise da fome no mundo hoje: todos vivem conflitos armados. Com a instabilidade política, vêm a instabilidade econômica e social e abre-se, assim, espaços para surtos de fome. O Iêmen é o caso mais grave, considerado o mais pobre país do mundo árabe, o Iêmen viu a crise de fome crescer rápido em 2017.
Mapa que mostra os pontos onde a fome já é realidade para a maioria da população.
O que é pobreza?
A pobreza pode ser considerada como o não suprimento das necessidades básicas (alimentação, habitação, saúde e educação), fatores necessários para garantir a integridade física e psicológica das pessoas. Contudo, não há um conceito rígido para definir essa condição.
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) estabeleceu, no Relatório do Desenvolvimento Humano 1990, que a situação de pobreza atinge pessoas que vivem com menos de 1.25 dólar por dia. O Banco Mundial considera a faixa de menos de 2 dólares por dia para definir a população pobre e menos de 1 dólar por dia para definir pobreza extrema. Outro critério é medir a renda dos domicílios.Nessa análise consideram-se:
- a linha de pobreza, ou seja, a renda que os moradores de um domicílio precisam obter para satisfazer suas necessidades e ter uma vida digna;
- a linha de indigência, isto é, a renda necessária para custear uma cesta de alimentos que satisfaça um nível mínimo de necessidades energéticas e proteínas para as pessoas sobreviverem.
O mais importante, porém, é detectar a pobreza para diminuí-la e combatê-la em várias regiões do mundo, principalmente nos lugares onde ela é crônica e mais aguda, como em países da África, da América Latina e da Ásia.
Abaixo tabela atualizada com a porcentagem de população em condições de pobreza no mundo, por região, em 2015.

Fonte (livro):  ALMEIDA, Lúcia Marina Alves de; RIGOLIN, Tércio Barbosa. Fronteiras da globalização. São Paulo: Ática, 2016.
Fonte (internet):
http://www.amambainoticias.com.br/mundo/1-bilhao-de-pessoas-passam-fome-no-mundo
https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/03/13/Por-que-o-mundo-vive-sua-pior-crise-de-fome-em-70-anos
https://oglobo.globo.com/mundo/onu-numero-de-pessoas-que-passam-fome-no-mundo-sobe-35-21143294
https://oglobo.globo.com/economia/onu-apresenta-novo-indice-para-avaliacao-da-pobreza-na-america-latina-2975619

5 de agosto de 2017

Um mundo cada vez mais urbano

Em 2008, pela primeira vez na história, foi verificado que mais da metade da população mundial vive em cidades. Segundo estudo realizado pela ONU, estima-se que 66% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.

Vídeos de origem:
https://pixabay.com/
https://www.videezy.com/

2 de agosto de 2017

Organização e regionalização de um mundo desigual

Divisão da riqueza mundial
PIB per capita (em dólares)

Ponto de partida

Estudo do Credit Suisse, o Global Wealth Report 2014 mostra que 87% da riqueza mundial está concentrada em apenas 10% da população mundial.

1. Com o auxílio do mapa e do gráfico, indique três países que concentram parte dessa população.
2. Indique três países ricos que foram grandes colonizadores no passado e três pobres que foram colônias.


Fonte (livro): SILVA, Edilson Cândido da;JÚNIOR, Laercio Furquim. Geografia em rede. São Paulo, FTD, 2016.
Imagens: Opera Mundi

1 de agosto de 2017

O reinício do ano letivo e o parcelamento dos salários

O ano letivo aqui na minha escola iniciou com paralisação ontem e hoje, com possibilidade de uma nova greve. O governador do Estado liberou uma parcela de apenas R$ 650,00 para todo o funcionalismo público, o que está trazendo uma enorme dificuldade para os pessoas pagarem as suas contas em dia. Mas essa situação não é nova, desde o início do mandato do governador Sartori começaram os parcelamentos dos salários.
"Desobedecendo todas as leis trabalhistas e, inclusive, a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, no julgamento do mérito no pleno, que por 21 votos a 4, proibiu o Estado de parcelar salários, o governo Sartori, pela 20ª vez, parcela o pagamento dos educadores e demais servidores. O primeiro depósito foi de apenas R$ 650,00."
Saiu a decisão da Assembleia geral em Porto Alegre e decisão foi greve até sexta-feira, quando será feita uma nova assembleia onde será decidido se a greve continua.

Fonte: http://cpers.com.br/governo-paga-parcela-menor-que-salario-minimo-aos-educadores-gauchos/.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...