10 de agosto de 2017

Pobreza e fome no mundo globalizado

A Declaração do Milênio
O processo de globalização evidenciou uma grande desigualdade socioeconômica, que se manifesta de várias formas, seja em zonas rurais, seja em zonas urbanas. Isso acontece porque também são desiguais os acessos ao capital, aos recursos naturais, à tecnologia, à educação de qualidade, à água potável, aos serviços de saúde e ao saneamento básico. Por essa razão, precisamos considerar as desigualdades socioeconômicas como algo que vai muito além da distribuição de bens materiais e que se manifesta nas várias formas de pobreza e em sua principal consequência: a fome.
Para atenuar essas diferenças e melhorar a vida das pessoas no século XXI, a Organização das Nações Unidas (ONU) elaborou a Declaração do Milênio.
Segundo o Banco Mundial, cerca de 1 bilhão de pessoas saíram da situação de extrema pobreza entre 1995 e 2015. No entanto, os avanços para atingir os Objetivos do Milênio têm sido muito desiguais nas diferentes regiões do mundo: existem grandes áreas na África subsaariana e no Sul da Ásia onde os Objetivos dificilmente serão alcançados.

A fome no mundo

Segundo relatório da ONU e União Europeia de 2016, são cerca de 108 milhões de pessoas no mundo passam fome. Mas esse número é bem maior. Um estudo do Instituto Internacional de Investigação sobre Políticas Alimentares (IFPRI, na sigla em inglês), mostra que pelo menos 1 bilhão de pessoas sofrem de desnutrição no planeta. A situação é considerada grave na América Latina, especialmente na Bolívia, na Guatemala e no Haiti. A pesquisa mostrou que quase metade dos afetados pela desnutrição são crianças. Os níveis mais altos se encontram na África Subsaariana e  no sul da Ásia.
A fome do mundo é causada pela combinação de preços altos, conflitos e condições climáticas extremas.
Em março, a ONU fez um alerta de que o mundo vive a mais grave crise humanitária desde a fundação da entidade, em 1945. Segundo a organização, até julho de 2017 mais de 20 milhões de pessoas corriam sério risco de morrer de fome. A crise afeta principalmente as populações do Iêmen, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, países da África e do Oriente Médio.
Há algo que une os quatro países mais ameaçados pela crise da fome no mundo hoje: todos vivem conflitos armados. Com a instabilidade política, vêm a instabilidade econômica e social e abre-se, assim, espaços para surtos de fome. O Iêmen é o caso mais grave, considerado o mais pobre país do mundo árabe, o Iêmen viu a crise de fome crescer rápido em 2017.
Mapa que mostra os pontos onde a fome já é realidade para a maioria da população.
O que é pobreza?
A pobreza pode ser considerada como o não suprimento das necessidades básicas (alimentação, habitação, saúde e educação), fatores necessários para garantir a integridade física e psicológica das pessoas. Contudo, não há um conceito rígido para definir essa condição.
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) estabeleceu, no Relatório do Desenvolvimento Humano 1990, que a situação de pobreza atinge pessoas que vivem com menos de 1.25 dólar por dia. O Banco Mundial considera a faixa de menos de 2 dólares por dia para definir a população pobre e menos de 1 dólar por dia para definir pobreza extrema. Outro critério é medir a renda dos domicílios.Nessa análise consideram-se:
- a linha de pobreza, ou seja, a renda que os moradores de um domicílio precisam obter para satisfazer suas necessidades e ter uma vida digna;
- a linha de indigência, isto é, a renda necessária para custear uma cesta de alimentos que satisfaça um nível mínimo de necessidades energéticas e proteínas para as pessoas sobreviverem.
O mais importante, porém, é detectar a pobreza para diminuí-la e combatê-la em várias regiões do mundo, principalmente nos lugares onde ela é crônica e mais aguda, como em países da África, da América Latina e da Ásia.
Abaixo tabela atualizada com a porcentagem de população em condições de pobreza no mundo, por região, em 2015.

Fonte (livro):  ALMEIDA, Lúcia Marina Alves de; RIGOLIN, Tércio Barbosa. Fronteiras da globalização. São Paulo: Ática, 2016.
Fonte (internet):
http://www.amambainoticias.com.br/mundo/1-bilhao-de-pessoas-passam-fome-no-mundo
https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/03/13/Por-que-o-mundo-vive-sua-pior-crise-de-fome-em-70-anos
https://oglobo.globo.com/mundo/onu-numero-de-pessoas-que-passam-fome-no-mundo-sobe-35-21143294
https://oglobo.globo.com/economia/onu-apresenta-novo-indice-para-avaliacao-da-pobreza-na-america-latina-2975619

5 de agosto de 2017

Um mundo cada vez mais urbano

Em 2008, pela primeira vez na história, foi verificado que mais da metade da população mundial vive em cidades. Segundo estudo realizado pela ONU, estima-se que 66% da população mundial viverá em áreas urbanas até 2050.

Vídeos de origem:
https://pixabay.com/
https://www.videezy.com/

2 de agosto de 2017

Organização e regionalização de um mundo desigual

Divisão da riqueza mundial
PIB per capita (em dólares)

Ponto de partida

Estudo do Credit Suisse, o Global Wealth Report 2014 mostra que 87% da riqueza mundial está concentrada em apenas 10% da população mundial.

1. Com o auxílio do mapa e do gráfico, indique três países que concentram parte dessa população.
2. Indique três países ricos que foram grandes colonizadores no passado e três pobres que foram colônias.


Fonte (livro): SILVA, Edilson Cândido da;JÚNIOR, Laercio Furquim. Geografia em rede. São Paulo, FTD, 2016.
Imagens: Opera Mundi

1 de agosto de 2017

O reinício do ano letivo e o parcelamento dos salários

O ano letivo aqui na minha escola iniciou com paralisação ontem e hoje, com possibilidade de uma nova greve. O governador do Estado liberou uma parcela de apenas R$ 650,00 para todo o funcionalismo público, o que está trazendo uma enorme dificuldade para os pessoas pagarem as suas contas em dia. Mas essa situação não é nova, desde o início do mandato do governador Sartori começaram os parcelamentos dos salários.
"Desobedecendo todas as leis trabalhistas e, inclusive, a decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, no julgamento do mérito no pleno, que por 21 votos a 4, proibiu o Estado de parcelar salários, o governo Sartori, pela 20ª vez, parcela o pagamento dos educadores e demais servidores. O primeiro depósito foi de apenas R$ 650,00."
Saiu a decisão da Assembleia geral em Porto Alegre e decisão foi greve até sexta-feira, quando será feita uma nova assembleia onde será decidido se a greve continua.

Fonte: http://cpers.com.br/governo-paga-parcela-menor-que-salario-minimo-aos-educadores-gauchos/.

26 de julho de 2017

Volta às aulas


Uma boa parte dos estudantes e professores do Brasil estão retornando às aulas hoje, dia 26 de julho, quarta-feira. Nós, professores e estudantes da rede pública do RS, retornaremos na próxima segunda-feira, dia 31 de julho. 
Um bom retorno a todos nós com todas as alegrias, tristezas e desafios que temos que enfrentar diariamente em um país onde o ensino, a educação e a cultura nunca foram prioridades. Um ensino onde os profissionais não são valorizados, onde a maioria de nós tem que lutar muito para tentar dar um pouquinho da qualidade que tanto gostaríamos de ter nas salas de aula e na vida.
Talvez o dia em que as decisões sobre o ensino não venham de cima para baixo o ensino brasileiro possa mudar para melhor. Mas sei também que por enquanto isso é um sonho.
Mas vamos seguindo lutando firmes e fortes por nossos ideais fazendo o nosso melhor, embora nem sempre tenhamos certezas nesse "mar agitado" que estamos vivendo atualmente.

20 de julho de 2017

Casinhas feitas de caixa de papelão para abrigar animais abandonados

Amigos(as), colegas e alunos(as)! O frio está dramático aqui no Sul do Brasil e também na região Sudeste. Aqui no Sul estamos com temperaturas abaixo de zero. Hoje mesmo li uma notícia triste que um morador de rua morreu de frio em São Paulo. As prefeituras precisam tomar uma atitude no sentido de amenizar o sofrimento daqueles que estão em situação de vulnerabilidade, ou seja, daqueles que não tem nada.

A minha preocupação também se volta para os animais abandonados e desabrigados. Então tive a ideia de postar aqui sugestões de como construir casinhas baratas para amenizar o sofrimento dos animaizinhos de rua. Estamos em ferias! Então vamos nos juntar em uma corrente de solidariedade para ajudar a quem precisa nesse frio terrível. Não são casas definitivas, mas que ajudarão até passar esse momento dramático para os animais desabrigados, já que são casinhas feitas com caixas de papelão e plástico.
Você vai precisar
-caixas de papelão
-fibra de proteção usada para transportar estofados e aparelhos eletrônicos (facilmente encontrada como descartes nas lojas e shoppings que vendem estas mercadorias)
-plástico preto comum para obras e reformas
- fita adesiva
-cobertor
Dar várias voltas na caixa com o plástico e se tiver colocar uma camada intermediária de fibra de proteção ou plástico bolha. Use aquela fita adesiva mais forte que resiste a umidade e coloque forros dentro da caixa (cobertor velho ou outros panos). Não fica bonita, mas é econômica e eficiente. Essas casinhas pode abrigar gatos e cachorros. O tamanho da caixa depende do tamanho do animal.
Se tiver caixa velha de isopor também serve.
Outras ideias no blog Amor aos Animais (clique em cima do nome do blog).

16 de julho de 2017

Questões ambientais - Enem e vestibulares

1. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 35
Segundo a Conferência de Quioto, os países centrais industrializados, responsáveis históricos pela poluição, deveriam alcançar a meta de redução de 5,2% do total de emissões segundo níveis de 1990. O nó da questão é o enorme custo desse processo, demandando mudanças radicais nas indústrias para que se adaptem rapidamente aos limites de emissão estabelecidos e adotem tecnologias energéticas limpas. A comercialização internacional de créditos de sequestro ou de redução de gases causadores do efeito estufa foi a solução encontrada para reduzir o custo global do processo. Países ou empresas que conseguirem reduzir as emissões abaixo de suas metas poderão vender este crédito para outro país ou empresa que não consiga.
BECKER, B. Amazônia: geopolítica na virada do II milênio. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

As posições contrárias à estratégia de compensação presente no texto relacionam-se à ideia de que ela promove
a) retração nos atuais níveis de consumo.
b) surgimento de conflitos de caráter diplomático.
c) diminuição dos lucros na produção de energia.
d) desigualdade na distribuição do impacto ecológico.
e) decréscimo dos índices de desenvolvimento econômico.

2. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 28
Pesca industrial provoca destruição na África
O súbito desaparecimento do bacalhau dos grandes cardumes da Terra Nova, no final do século XX — o que ninguém havia previsto —, teve o efeito de um eletrochoque planetário. Lançada pelos bascos no século XV, a pesca e depois a sobrepesca desse grande peixe de água fria levaram ao impensável. Ao Canadá o bacalhau nunca mais voltou. E o que ocorreu no Atlântico Norte está acontecendo em outros mares. Os maiores navios do mundo seguem agora em direção ao sul, até os limites da Antártida, para competir pelos estoques remanescentes.
MORA, J. S. Disponível em: www.diplomatique.com.br. Acesso em: 14 jan. 2014.

O problema exposto no texto jornalístico relaciona-se à
a) insustentabilidade do modelo de produção e consumo.
b) fragilidade ecológica de ecossistemas costeiros.
c) inviabilidade comercial dos produtos marinhos.
d) mudança natural nos oceanos e mares.
e) vulnerabilidade social de áreas pobres.

3. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 18
Dessalinização das águas
Capacidade total de dessalinização das águas salobras ou salinas (por país em metros cúbicos por dia)
EUA. Relatório da Academia Nacional de Ciências, 2008 (adaptado).

Conforme a análise do documento cartográfico, a área de concentração das usinas de dessalinização é explicada pelo(a)
a) pioneirismo tecnológico.
b) condição hidropedológica. 
c) escassez de água potável. 
d) efeito das mudanças climáticas.
e) busca da sustentabilidade ambiental.

4. ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 16
O bioma Cerrado foi considerado recentemente um dos 25 hotspots de biodiversidade do mundo, segundo uma análise em escala mundial das regiões biogeográficas sobre áreas globais prioritárias para conservação. O conceito de hotspot foi criado tendo em vista a escassez de recursos direcionados para conservação, com o objetivo de apresentar os chamados “pontos quentes”, ou seja, locais para os quais existe maior necessidade de direcionamento de esforços, buscando evitar a extinção de muitas espécies que estão altamente ameaçadas por ações antrópicas.
PINTO, P. P.; DINIZ-FILHO, J. A. F. In: ALMEIDA, M. G. (Org.). Tantos cerrados: múltiplas abordagens sobre a biogeodiversidade e singularidade cultural. Goiânia: Vieira, 2005 (adaptado).

A necessidade desse tipo de ação na área mencionada tem como causa a
a) intensificação da atividade turística.
b) implantação de parques ecológicos.
c) exploração dos recursos minerais.
d) elevação do extrativismo vegetal.
e) expansão da fronteira agrícola.

5. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 41
A questão ambiental, uma das principais pautas contemporâneas, possibilitou o surgimento de concepções políticas diversas, dentre as quais se destaca a preservação ambiental, que sugere uma ideia de intocabilidade da natureza e impede o seu aproveitamento econômico sob qualquer justificativa.
PORTO-GONÇALVES, C. W. A globalização da natureza e a natureza da globalização. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006 (adaptado).

Considerando as atuais concepções políticas sobre a questão ambiental, a dinâmica caracterizada no texto quanto à proteção do meio ambiente está baseada na 
a) prática econômica sustentável. 
b) contenção de impactos ambientais. 
c) utilização progressiva dos recursos naturais. 
d) proibição permanente da exploração da natureza. 
e) definição de áreas prioritárias para a exploração econômica. 

6. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 08
AMARILDO. Disponível em: www.amarildo.com.br. Acesso em: 3 mar. 2013.

Na charge há uma crítica ao processo produtivo agrícola brasileiro relacionada ao 
a) elevado preço das mercadorias no comércio. 
b) aumento da demanda por produtos naturais. 
c) crescimento da produção de alimentos. 
d) hábito de adquirir derivados industriais. 
e) uso de agrotóxicos nas plantações. 

7. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 05
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente/IBGE. Biomas. 2004 (adaptado).

No mapa estão representados os biomas brasileiros que, em função de suas características físicas e do modo de ocupação do território, apresentam problemas ambientais distintos. Nesse sentido, o problema ambiental destacado no mapa indica 
a) desertificação das áreas afetadas. 
b) poluição dos rios temporários. 
c) queimadas dos remanescentes vegetais.
d)  desmatamento das matas ciliares. 
e) contaminação das águas subterrâneas. 

8. ENEM 2014 1º Dia - Caderno Branco - Questão 10
Antes de o sol começar a esquentar as terras da faixa ao sul do Saara conhecida como Sahel, duas dezenas de mulheres da aldeia de Widou, no norte do Senegal, regam a horta cujas frutas e verduras alimentam a população local. É um pequeno terreno que, visto do céu, forma uma mancha verde — um dos primeiros pedaços da "Grande Muralha Verde", barreira vegetal que se estenderá por 7000 km do Senegal ao Djibuti, e é parte de um plano conjunto de vinte países africanos.
GIORGI, J. Muralha verde. Folha de S. Paulo. 20 maio 2013 (adaptado).

O projeto ambiental descrito proporciona a seguinte consequência regional imediata:
a) Facilita as trocas comerciais.
b) Soluciona os conflitos fundiários.
c) Restringe a diversidade biológica.
d) Fomenta a atividade de pastoreio.
e) Evita a expansão da desertificação.

9. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 044
A maior parte dos veículos de transporte atualmente é movida por motores a combustão que utilizam derivados de petróleo. Por causa disso, esse setor é o maior consumidor de petróleo do mundo, com altas taxas de crescimento ao longo do tempo. Enquanto outros setores têm obtido bons resultados na redução do consumo, os transportes tendem a concentrar ainda mais o uso de derivados do óleo.
MURTA, A. Energia: o vício da civilização. Rio de Janeiro: Garamond, 2011 (adaptado).

Um impacto ambiental da tecnologia mais empregada pelo setor de transportes e uma medida para promover a redução do seu uso, estão indicados, respectivamente, em:
a) Aumento da poluição sonora – construção de barreiras acústicas.
b) Incidência da chuva ácida – estatização da indústria automobilística.
c) Derretimento das calotas polares – incentivo aos transportes de massa.
d) Propagação de doenças respiratórias – distribuição de medicamentos gratuitos.
e) Elevação das temperaturas médias – criminalização da emissão de gás carbônico.

10. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 042
A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água.
MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como
a) redução do custo de produção. 
b) agravamento da poluição hídrica. 
c) compactação do material do solo. 
d) aceleração da fertilização natural. 
e) redirecionamento dos cursos fluviais. 

11. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 021
A moderna “conquista da Amazônia” inverteu o eixo geográfico da colonização da região. Desde a época colonial até meados do século XIX, as correntes principais de população movimentaram-se no sentido Leste-Oeste, estabelecendo uma ocupação linear articulada. Nas últimas décadas, os fluxos migratórios passaram a se verificar no sentido Sul-Norte, conectando o Centro-Sul à Amazônia.
OLIC, N. B. Ocupação da Amazônia, uma epopeia inacabada. Jornal Mundo, ano 16, n. 4, ago. 2008 (adaptado). 

O primeiro eixo geográfico de ocupação das terras amazônicas demonstra um padrão relacionado à criação de
a) núcleos urbanos em áreas litorâneas. 
b) centros agrícolas modernos no interior. 
c) vias férreas entre espaços de mineração. 
d) faixas de povoamento ao longo das estradas. 
e) povoados interligados próximos a grandes rios. 

12. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 019
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

13. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 041
A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água.
MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como
a) redução do custo de produção. 
b) agravamento da poluição hídrica. 
c) compactação do material do solo. 
d) aceleração da fertilização natural. 
e) redirecionamento dos cursos fluviais. 

14. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 036
A maior parte dos veículos de transporte atualmente é movida por motores a combustão que utilizam derivados de petróleo. Por causa disso, esse setor é o maior consumidor de petróleo do mundo, com altas taxas de crescimento ao longo do tempo. Enquanto outros setores têm obtido bons resultados na redução do consumo, os transportes tendem a concentrar ainda mais o uso de derivados do óleo.
MURTA, A. Energia: o vício da civilização. Rio de Janeiro: Garamond, 2011 (adaptado).

Um impacto ambiental da tecnologia mais empregada pelo setor de transportes e uma medida para promover a redução do seu uso, estão indicados, respectivamente, em:
a) Aumento da poluição sonora – construção de barreiras acústicas.
b) Incidência da chuva ácida – estatização da indústria automobilística.
c) Derretimento das calotas polares – incentivo aos transportes de massa.
d) Propagação de doenças respiratórias – distribuição de medicamentos gratuitos.
e) Elevação das temperaturas médias – criminalização da emissão de gás carbônico.

15. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 030
A moderna “conquista da Amazônia” inverteu o eixo geográfico da colonização da região. Desde a época colonial até meados do século XIX, as correntes principais de população movimentaram-se no sentido Leste-Oeste, estabelecendo uma ocupação linear articulada. Nas últimas décadas, os fluxos migratórios passaram a se verificar no sentido Sul-Norte, conectando o Centro-Sul à Amazônia.
OLIC, N. B. Ocupação da Amazônia, uma epopeia inacabada. Jornal Mundo, ano 16, n. 4, ago. 2008 (adaptado). 

O primeiro eixo geográfico de ocupação das terras amazônicas demonstra um padrão relacionado à criação de
a) núcleos urbanos em áreas litorâneas. 
b) centros agrícolas modernos no interior. 
c) vias férreas entre espaços de mineração. 
d) faixas de povoamento ao longo das estradas. 
e) povoados interligados próximos a grandes rios. 

16. ENEM 2012 1o Dia - Caderno 3 - Branco - Questão 028
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

17. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 38
A irrigação da agricultura é responsável pelo consumo de mais de 2/3 de toda a água retirada dos rios, lagos e lençóis freáticos do mundo. Mesmo no Brasil, onde achamos que temos muita água, os agricultores que tentam produzir alimentos também enfrentam secas periódicas e uma competição crescente por água.
MARAFON, G. J. et al. O desencanto da terra: produção de alimentos, ambiente e sociedade. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

No Brasil, as técnicas de irrigação utilizadas na agricultura produziram impactos socioambientais como
a) redução do custo de produção. 
b) agravamento da poluição hídrica. 
c) compactação do material do solo. 
d) aceleração da fertilização natural. 
e) redirecionamento dos cursos fluviais. 

18. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 32
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

19. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 32
A interface clima/sociedade pode ser considerada em termos de ajustamento à extensão e aos modos como as sociedades funcionam em uma relação harmônica com seu clima. O homem e suas sociedades são vulneráveis às variações climáticas. A vulnerabilidade é a medida pela qual uma sociedade é suscetível de sofrer por causas climáticas.
AYOADE, J. O. Introdução a climatologia para os trópicos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010 (adaptado).

Considerando o tipo de relação entre ser humano e condição climática apresentado no texto, uma sociedade torna-se mais vulnerável quando
a) concentra suas atividades no setor primário. 
b) apresenta estoques elevados de alimentos. 
c) possui um sistema de transportes articulado. 
d) diversifica a matriz de geração de energia. 
e) introduz tecnologias à produção agrícola. 

20. ENEM 2012 1º Dia - Caderno 1 - Azul - Questão 26
A maior parte dos veículos de transporte atualmente é movida por motores a combustão que utilizam derivados de petróleo. Por causa disso, esse setor é o maior consumidor de petróleo do mundo, com altas taxas de crescimento ao longo do tempo. Enquanto outros setores têm obtido bons resultados na redução do consumo, os transportes tendem a concentrar ainda mais o uso de derivados do óleo.
MURTA, A. Energia: o vício da civilização. Rio de Janeiro: Garamond, 2011 (adaptado).

Um impacto ambiental da tecnologia mais empregada pelo setor de transportes e uma medida para promover a redução do seu uso, estão indicados, respectivamente, em:
a) Aumento da poluição sonora – construção de barreiras acústicas.
b) Incidência da chuva ácida – estatização da indústria automobilística.
c) Derretimento das calotas polares – incentivo aos transportes de massa.
d) Propagação de doenças respiratórias – distribuição de medicamentos gratuitos.
e) Elevação das temperaturas médias – criminalização da emissão de gás carbônico.

21. FUVEST 2017 1ª fase - Prova V - Questão 46
Leia o texto e observe a ilustração.

Programa de Despoluição da Baía de Guanabara (PDBG) – Esquema simplificado
O Programa de Despoluição da Baía de Guanabara – PDBG – foi concebido para melhorar as condições sanitárias e ambientais da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Verifique a distribuição, a situação e as fases de operação das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) do PDBG.

Considerando essas informações, é correto afirmar:
a) A área mais atendida em relação à mitigação da poluição encontra-se no sudeste da Baía de Guanabara, pois possui maior número de estações que atuam em todos os níveis de tratamento de esgoto.
b) O tratamento do esgoto objetiva a diminuição da poluição das águas, poluição essa causada pela introdução de substâncias artificiais ou pelo aumento da concentração de substâncias naturais no ambiente aquático existente.
c) A Baía de Guanabara encontra-se ainda poluída, em razão de as ETEs existentes reciclarem apenas o lodo proveniente dos dejetos, sendo os materiais do nível primário despejados sem tratamento no mar.
d) A elevada concentração de resíduos sólidos despejados na Baía de Guanabara, tais como plásticos, latas e óleos, acaba por provocar intensa eutrofização das águas, aumentando a taxa de oxigênio dissolvido na água.
e) O tratamento de esgoto existente concentra-se na eliminação dos fungos lançados no mar, principalmente aqueles gerados pelos dejetos de origem industrial.

22. FUVEST 2017 1ª fase - Prova V - Questão 40
Segundo relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), inúmeras gigatoneladas de gases do efeito estufa de origem antropogênica (oriundos de atividades humanas) vêm sendo lançadas na atmosfera há séculos. A figura mostra as emissões em 2010 por setor econômico.
Com base na figura e em seus conhecimentos, aponte a afirmação correta.
a) Os setores econômicos de Construção e Produção de outras energias, juntos, possuem menores emissões de gases do efeito estufa antropogênicos do que o setor de Transporte, tendo como principal exemplo ocorrências no sudeste asiático.
b) As maiores emissões de CH4 de origem antropogênica devem-se ao setor econômico da Agricultura e outros usos da terra, em razão das queimadas, principalmente no Brasil e em países africanos.
c) As maiores emissões de gases do efeito estufa de origem antropogênica vinculadas à Produção de eletricidade e calor ocorrem nos países de baixo IDH, pois estes não possuem políticas ambientais definidas.
d) Um quarto do conjunto de gases do efeito estufa de origem antropogênica lançados na atmosfera é proveniente do setor econômico de Produção de eletricidade e calor, em que predomina a emissão do CO2, ocorrendo com grande intensidade nos EUA e na China.
e) A Indústria possui parcela significativa na emissão de gases do efeito estufa de origem antropogênica, na qual o N2O é o componente majoritário na produção em refinarias de petróleo do Oriente Médio e da Rússia.

Gabarito: 
1. d; 2. a; 3. c; 4. e; 5. d; 6. e; 7. a; 8. e; 9. c; 10. e; 11. e; 12. a; 13. e; 14.c; 15. e; 16. a; 17. e; 18. a; 19. a; 20. c; 21. b; 22. d

13 de julho de 2017

Questões sobre globalização (Enem e vestibulares)

1.  ENEM 2016 1° dia - Caderno 3 - Branco - Questão 45
Dados recentes mostram que muitos são os países periféricos que dependem dos recursos enviados pelos imigrantes que estão nos países centrais. Grande parte dos países da América Latina, por exemplo, depende hoje das remessas de seus imigrantes. Para se ter uma ideia mais concreta, recentes dados divulgados pela ONU revelaram que somente os indianos recebem 10 bilhões de dólares de seus compatriotas no exterior. No México, segundo maior volume de divisas, esse valor chega a 9,9 bilhões de dólares e nas Filipinas, o terceiro, a 8,4 bilhões.
HAESBAERT, R.; PORTO-GONÇALVES, C. W. A nova des-ordem mundial. São Paulo: Edunesp, 2006.

Um aspecto do mundo globalizado que facilitou a ocorrência do processo descrito, na transição do século XX para o século XXI, foi o(a)
a) integração de culturas distintas.
b) avanço técnico das comunicações.
c) quebra de barreiras alfandegárias.
d) flexibilização de regras trabalhistas.
e) desconcentração espacial da produção.

2. FUVEST 2013 2a Fase
A agência de proteção ambiental dos Estados Unidos, “EPA”, estima que 30 a 40 milhões de computadores pessoais são descartados anualmente no mundo. O programa ambiental das Nações Unidas, “UNEP”, calcula em 50 milhões de toneladas anuais a produção mundial de lixo eletrônico, “e-waste”. Os maiores produtores desse tipo de dejetos são os Estados Unidos, a Europa e o Japão, os quais reciclam cerca de 30% deles, sendo o restante exportado principalmente para a China, países da África, Índia e Paquistão.
National Geographic – High-Tech Trash, 2008. Adaptado.

a) Aponte um motivo pelo qual os países desenvolvidos exportam parte de seu lixo eletrônico. Explique.
b) Indique um motivo pelo qual países pobres, ou em desenvolvimento, aceitam receber o lixo eletrônico proveniente de países exportadores desse lixo. Explique.

3. FUVEST 2014 1a Fase
O local e o global determinam-se reciprocamente, umas vezes de modo congruente e consequente, outras de modo desigual e desencontrado. Mesclam-se e tensionam-se singularidades, particularidades e universalidades. Conforme Anthony Giddens, “A globalização pode assim ser definida como a intensificação das relações sociais em escala mundial, que ligam localidades distantes de tal maneira que acontecimentos locais são modelados por eventos ocorrendo a muitas milhas de distância e vice-versa. Este é um processo dialético porque tais acontecimentos locais podem se deslocar numa direção inversa às relações muito distanciadas que os modelam. A transformação local é, assim, uma parte da globalização”.
Octávio Ianni, Estudos Avançados. USP. São Paulo, 1994. Adaptado.

Neste texto, escrito no final do século XX, o autor refere-se a um processo que persiste no século atual. A partir desse texto, pode-se inferir que esse processo leva à
a) padronização da vida cotidiana.
b) melhor distribuição de renda no planeta.
c) intensificação do convívio e das relações afetivas presenciais.
d) maior troca de saberes entre gerações.
e) retração do ambientalismo como reação à sociedade de consumo.

4. FUVEST 2013 2a Fase
Os centros de inovação tecnológica são exemplos de transformações espaciais originados da chamada Terceira Revolução Industrial.

CENTROS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

PNUD, 2001. Adaptado.

Com base no mapa e em seus conhecimentos,
a) aponte duas características da Terceira Revolução Industrial que favoreceram o aparecimento dos centros de inovação tecnológica. Explique.
b) identifique e caracterize o conjunto de centros de inovação tecnológica destacado na porção sudoeste dos Estados Unidos.

5. FGV-SP 2017 Administração
O tripé da campanha presidencial de Donald Trump para "devolver aos Estados Unidos sua grandeza" se baseia em uma reforma econômica, uma reforma nas leis de imigração e na defesa da Segunda Emenda da Constituição, que outorga a todos os cidadãos o direito de portar armas.

Sobre as repercussões dessas propostas, analise as afirmações a seguir.
I A proposta de estabelecer tarifas alfandegárias para produtos fabricados na China recebeu o apoio de indústrias americanas, como a Nike e a Apple.
II A intenção de construir muros na fronteira sul e de expulsar os imigrantes em situação ilegal distanciou o candidato republicano da comunidade hispânica.
III A defesa do porte de armas por todos os cidadãos, após o atentado homofóbico da Flórida, tornou-se um ponto de convergência entre os partidos republicano e democrata.
Está correto o que se afirma em
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

6. FGV-SP 2017 Administração
Desde 2015, tem crescido o número de imigrantes e refugiados que utilizam a chamada “rota balcânica”, para chegar a países da União Europeia, por meio de um corredor que passa pela Turquia, Grécia, Macedônia, Sérvia, Hungria e Áustria.
 
A respeito da rota balcânica indicada no mapa, NÃO é correto afirmar:
a) O aumento do fluxo de refugiados por essa rota é explicado pelos conflitos armados nas regiões de origem dos deslocados, com destaque para a Síria.
b) A rota terrestre é mais segura do que a travessia pelo Mediterrâneo, realizada por refugiados em barcos precários e controlados por traficantes.
c) As fronteiras dos países dessa rota são mantidas abertas para os que migram por motivos políticos e religiosos.
d) O corredor dos Balcãs também é utilizado por jovens que procuram escapar da falta de oportunidades em seus respectivos países.
e) O objetivo da maior parte dos imigrantes é alcançar países do centro e norte europeus, como a Alemanha, por exemplo.

7. FGV-SP 2017 Administração
 
Com relação ao referendo que consultou os cidadãos do Reino Unido a respeito da permanência ou saída de seu país da União Europeia (UE), realizado em junho de 2016, leia as afirmações a seguir.

I A consulta foi vinculante, na medida em que o resultado do referendo deve ser efetivado pelo Poder Executivo.
II O referendo foi uma promessa da campanha de 2015 do Partido Conservador, que se comprometeu em realizá-lo.
III A consulta dividiu a população: os mais jovens votando pela saída e os mais velhos pela permanência na UE.
Está correto o que se afirma em
a) II, apenas.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.

8. FGV-SP 2017 Administração
No mundo contemporâneo, as conexões econômicas entre os países constituem um importante fator condicionante dos fluxos migratórios. De acordo com o relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), existiam, em 2010, 215 milhões de migrantes no mundo.

Sobre o fenômeno das migrações no mundo contemporâneo, analise as afirmações a seguir.
I O processo de globalização adotou uma ideologia liberalizante que flexibilizou as barreiras nacionais à circulação de informações, mercadorias e capitais, mas que não alcança as que restringem a circulação de pessoas.
II Os imigrantes de baixa qualificação e pertencentes a etnias diferentes têm sido alvo de crescente hostilidade por parte da população dos países receptores, aumentando a vulnerabilidade dos imigrantes.
III A expressão “drenagem de cérebros” (“drain brain”) está relacionada às políticas adotadas por numerosos países desenvolvidos de atrair profissionais com alta qualificação acadêmica, o que provoca a perda da capacidade de inovação nos países de origem dos migrantes.
Está correto o que se afirma em 
a) I, apenas. 
b) II, apenas. 
c) I e III, apenas. 
d) II e III, apenas. 
e) I, II e III.

9. FGV-SP 2017 Direito
A globalização, apoiada nos três grandes centros de impulsão da economia mundial, não impede que os Estados, as redes ou os indivíduos se organizem em diferentes escalas regionais ou locais.

Com base no texto acima e no mapa,
A indique duas medidas adotadas pelos países emergentes para se inserirem nos mercados globalizados;
B analise a lógica de implantação das empresas transnacionais nos países em desenvolvimento;
C avalie o papel da Organização Mundial do Comércio na regulação dos fluxos internacionais de comércio.

10. FGV-SP 2016 Administração
O bar e bicicletaria Las Magrelas e a loja de doces Brownie Shop são dois exemplos paulistas dos 120 estabelecimentos comerciais que aceitam bitcoin no Brasil, segundo levantamento de julho de 2015. Bitcoin é uma rede de pagamentos e um novo tipo de moeda, eletrônica, que usa a tecnologia ponto a ponto para operar sem a intermediação de uma autoridade central. As transações com bitcoin são gerenciadas coletivamente pelos usuários da rede.

As opções a seguir apresentam novidades trazidas pela rede bitcoin em relação ao sistema de pagamento em papel-moeda, à exceção de uma. Assinale-a.
a) Realiza transações financeiras diretamente entre duas pessoas, sem a mediação de bancos ou de sistemas de pagamento online, como o PayPal.
b) Elimina os riscos de falsificação e os custos relativos à impressão, transporte e distribuição do dinheiro físico.
c) Transfere valores entre pessoas de qualquer país sem os custos de taxas de câmbio e de impostos do Estado.
d) Visualiza online o lastro em ouro que sustenta a cotação dos bitcoin e os converte em papel-moeda segundo a conveniência do usuário.
e) Adere a um tipo de moeda transferível instantânea e independentemente da supervisão e do monopólio de instituições financeiras estatais.

11. PUC-SP 2017 Verão
"Atualmente, os imigrantes marroquinos são um pouco menos de 700.000 na França. A França não é mais o país de predileção dos marroquinos, que se dirigem principalmente para a Espanha e a Itália. Uma imigração qualificada se desenvolve igualmente em direção aos Estados Unidos e ao Canadá."
(Le monde - Hors-série. L'Atlas de la France et des Français.Paris: Le Monde, 2014. p. 144)

Alguns traços da imigração contemporânea revelam-se nesse texto. A esse respeito pode ser dito que
a) as migrações voltam-se aos países mais próximos, tendo em vista as maiores facilidades existentes com as novas políticas de vizinhança que avançam no mundo atual.
b) elas adquirem escala planetária para além do regional e o foco deixa de ser apenas os antigos colonizadores, quer dizer, ganham um maior desembaraço geográfico. 
c) as migrações deixam de ser focadas nos países ricos e hoje elas são multidirecionais e praticadas principalmente por imigrantes com formação profissional sólida. 
d) são imigrações predominantemente legais e crescentes, visto que, no mundo global, elas são incentivadas por vários países como ação de desenvolvimento econômico.

12. PUC-SP 2016 
Sobre a origem da divisão "Norte/Sul" do mundo:
É em 1980 que nasce o par Norte/Sul, numa publicação do Banco Mundial (presidido por Willy Brandt) da Comissão Independente sobre os problemas de desenvolvimento internacional, intitulado Norte-Sul: um programa de sobrevivência. Em seguida o termo se torna corrente e é utilizado tanto no domínio público quanto nos materiais escolares.
(Transcrição de palestra de Christian Grataloup. Vida e morte do par Norte/Sul, In: Les Cafés Géographiques, 30/09/2015,
http://cafe-geo.net/, acesso 25/10/2015)

A expressão Norte/Sul, de largo uso atualmente, tem uma história que revela um aspecto das relações internacionais. A esse respeito, pode ser afirmado que
a) ela substitui a divisão do mundo entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos, isso porque houve uma queda grande da desigualdade entre os países do mundo.
b) essa divisão é apenas uma frase de efeito, pois ao pretender distinguir os países ricos dos pobres, comete uma confusão, pois vários dos países ricos do mundo estão no Sul.
c) como expressão da moda, tem o mesmo significado que a oposição entre Primeiro, Segundo e Terceiro Mundo, e entre países desenvolvidos e países subdesenvolvidos.
d) foram as desigualdades existentes na escala mundial, entre os países, que deram origem à distinção entre Norte/Sul.

13. UEL 2015 
Analise a figura a seguir.
Desde o lema Liberdade, Igualdade, Fraternidade, proveniente da Revolução Francesa e, posteriormente, inserido no atual mundo globalizado e neoliberal, o trânsito de mercadorias, capitais e pessoas passou a ser regulado por acordos nacionais e internacionais construídos por governos de países em diferentes escalas de poder financeiro e militar.

Assinale a alternativa que apresenta, corretamente, um aspecto em que a globalização e o neoliberalismo se expressam.
a) Pela dispensa de controle dos Estados no comércio de mercadorias de alto valor agregado. 
b) Na constituição do sistema bancário internacional, que regula plenamente o fluxo de capitais nos paraísos fiscais.
c) Na liberdade cultuada pelo sistema financeiro neoliberal, que expande socialmente a disseminação das riquezas.
d) No poderio bélico militar dos estados nacionais, efetivamente controlado pela ONU.
e) No estabelecimento de normas rígidas para condicionar a imigração ao controle do Estado.

14. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa
Atualmente, as represálias econômicas contra as empresas de informática norte-americanas continuam. A Alemanha proibiu um aplicativo dos Estados Unidos de compartilhamento de carros; na China, o governo explicou que os equipamentos e serviços de informática norte-americanos representam uma ameaça, pedindo que as empresas estatais não recorram a eles.
SCHILLER, D. Disponível em: www.diplomatique.org.br. Acesso em: 11 nov. 2014 (adaptado).

As ações tomadas pelos países contra a espionagem revelam preocupação com o(a)
a) subsídio industrial.
b) hegemonia cultural.
c) protecionismo dos mercados.
d) desemprego tecnológico.
e) segurança dos dados.

15. ENEM 2015 1º dia - Caderno 4 - Rosa - Questão 18
No final do século XX e em razão dos avanços da ciência, produziu-se um sistema presidido pelas técnicas da informação, que passaram a exercer um papel de elo entre as demais, unindo-as e assegurando ao novo sistema uma presença planetária. Um mercado que utiliza esse sistema de técnicas avançadas resulta nessa globalização perversa.
SANTOS, M. Por uma outra globalização. Rio de Janeiro: Record, 2008 (adaptado).

Uma consequência para o setor produtivo e outra para o mundo do trabalho advindas das transformações citadas no texto estão presentes, respectivamente, em:
a) Eliminação das vantagens locacionais e ampliação da legislação laboral.
b) Limitação dos fluxos logísticos e fortalecimento de associações sindicais.
c) Diminuição dos investimentos industriais e desvalorização dos postos qualificados.
d) Concentração das áreas manufatureiras e redução da jornada semanal.
e) Automatização dos processos fabris e aumento dos níveis de desemprego.

Gabarito:
1. b
2. a) Dentre os motivos que levam os países desenvolvidos a exportar parte de seu lixo eletrônico estão:
• a diminuição dos gastos relativos ao planejamento voltado para acondicionar tais dejetos;
• a redução dos custos de reciclagem;
• o receio de multas e punições diante de legislações ambientais severas;
• a existência, cada vez menor, de locais para receber enormes quantidades de material sólido;
• a redução do descarte de metais pesados, tais como chumbo e mercúrio, que potencializam riscos à saúde e ao meio ambiente.
b) Dentre os motivos que levam os países pobres/em desenvolvimento a receber o ”e-waste“ estão:
• parte destes aparelhos, que ainda funcionam, seria vista pelos governos locais como uma forma de inclusão digital;
• a eventual criação de novos postos de trabalho, que se tornam fonte de renda para parte da população local;
• leis ambientais pouco rigorosas que permitem o recebimento de tais dejetos.
3. a
4. a) As características da Terceira Revolução Industrial que favoreceram o aparecimento dos centros de inovação tecnológica são aquelas relacionadas ao desenvolvimento das telecomunicações (satélites e fibras ópticas, por exemplo), da informática (computadores e softwares) e dos transportes.
O que explica essa relação é que graças a essas novas tecnologias os conhecimentos produzidos nesses tecnopolos são rapidamente transferidos para a atividade industrial e agregam maior valor aos produtos, estimulando empresas e governos a investirem em centros de inovação tecnológica.
b) Na porção sudoeste dos Estados Unidos há uma região chamada Vale do Silício, situada no estado da Califórnia, que abrange várias pequenas cidades nas proximidades de São Francisco.
Nessa área concentram-se algumas das maiores empresas do mundo em eletrônica e informática, como Apple, Google, HP, Intel etc.
A excelente infraestrutura de telecomunicações assim como a mão de obra altamente qualificada formada nas universidades da região são alguns dos fatores que justificam essa concentração.
O Vale do Silício é identificado como uma das principais referências do processo de globalização da economia mundial.
5. b; 6. c; 7. a; 8. e;
9. A) A atual fase da globalização exige dos Estados uma lógica cada vez mais global sobre a lógica cada vez menos local. Os Estados que não se adaptarem a essa nova lógica, comandada pela tríade apresentada no mapa (Estados Unidos, União Europeia e Ásia Oriental) serão cada vez mais os excluídos da globalização. Os países emergentes tentam se inserir nesse mundo globalizado oferecendo estabilidade política, economia desregulamentada e segura para os fluxos de capitais e mercadorias, além de uma população com potencial para qualificação, mas com salários inferiores àqueles praticados nos países desenvolvidos.
B) As empresas transnacionais procuram nos países em desenvolvimento a diminuição de custos para sua produção, os chamados fatores locacionais. Entre esses fatores, podem-se destacar: matéria-prima abundante e de custo reduzido, mão de obra barata, baixo custo energético e leis trabalhistas e ambientais flexíveis ou inexistentes.
 Além disso, as empresas transnacionais se instalam nas áreas com melhor infraestrutura de comunicação e transporte, fatores que favorecem a administração e a exportação dos bens produzidos nesses países em desenvolvimento. 
C) A Organização Mundial do Comércio (OMC), atuante desde 1995, substituiu o  Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT), criado em 1947, com o objetivo de estimular o comércio internacional entre países. A OMC funciona como uma organização na qual os países-membros podem denunciar as práticas protecionistas de outros países que, se confirmadas, após julgamento, levarão à punição desses países. A OMC possui um conjunto de princípios que estimulam o comércio, não havendo privilégios aos países mais poderosos. Em um mundo cada vez mais globalizado, essa organização tende a ser cada vez mais protagonista e atuante no intuito de fortalecer os fluxos internacionais.
10. d; 11. b; 12. d; 13. e; 14. e; 15. e


7 de julho de 2017

A globalização e seus principais fluxos

A fase atual de expansão do capitalismo ficou conhecida como globalização. Ela é consequência do avanço tecnológico em diversos setores da economia e da modernização dos sistemas de transportes e telecomunicações, que ocorre de forma diferenciada no meio geográfico e é responsável pela aceleração dos fluxos de informações, capitais, mercadorias e pessoas.
Os fluxos de globalização não atingem o espaço geográfico por igual, mas principalmente os lugares que recebem maiores investimentos em infraestrutura. Por que isso ocorre? O que diferencia a atual expansão capitalista das etapas anteriores? É o que estudaremos a seguir.
O QUE É GLOBALIZAÇÃO
A globalização é a continuidade do longo processo histórico de mundialização capitalista, que vem ocorrendo desde o início da expansão marítima europeia. Assim, a globalização é o nome que se dá a atual fase de mundialização do capitalismo: ela está para o atual período informacional como o colonialismo esteve para sua etapa comercial e o imperialismo para a industrial e financeira.
Ao atingir o atual período informacional, o capitalismo integrou países e regiões do planeta num único sistema, formando o chamado sistema-mundo. A globalização é um fenômeno que tem várias dimensões: além da econômica, a mais evidente e perceptível, também possui a social, a cultural e a política, entre outras de menor impacto. Entretanto, todas essas dimensões se materializam no espaço geográfico em suas diversas escalas: mundial, nacional, regional e local. Os lugares estão conectados a uma rede de fluxos, controlados a partir de poucos centros de poder econômico e político. Entretanto, não são todos os lugares que estão integrados ao sistema-mundo. Os fluxos da globalização se dão em rede, mas seus nós mais importantes são os lugares que dispõem dos maiores mercados consumidores e das melhores infraestruturas - hotéis, bancos, Bolsas de Valores, sistemas de telecomunicação, estações rodoferroviárias, terminais portuários, aeroportos, etc. Estão, sobretudo, nas cidades globais e na rede urbana por elas polarizadas, localizadas predominantemente nos países desenvolvidos e em alguns países emergentes: Nova York, Londres, Tóquio, Paris, Frankfurt, Hong Kong, Cingapura, Xangai, Sydney, Cidade do México, São Paulo, Buenos Aires, etc. São, ao lado dos parques tecnológicos, os principais exemplos de meio técnico-científico-informacional de que falava o geógrafo Milton Santos.
A ATUAL EXPANSÃO CAPITALISTA
Atualmente, ao contrário do que ocorreu nas demais etapas do capitalismo, sua expansão não se inicia pela invasão e ocupação territorial. Por exemplo, nas etapas colonialista e imperialista do capitalismo, o controle do território onde seriam explorados os recursos naturais era fundamental.
Com uma ou outra exceção, na era da globalização a expansão capitalista é silenciosa, sutil e ainda mais eficaz. Trata-se de uma "invasão" de mercadorias, capitais, serviços, informações e pessoas. As novas "armas" são a sedução pelo consumo de bens e serviços e a agilidade e eficiência das telecomunicações, dos transportes e do processamento de informações, graças aos satélites de comunicação, à informática, à internet, aos telefones (fixos e celulares), aos aviões, aos supernavios petroleiros e graneleiros e aos trens de alta velocidade.
A "guerra" acontece nas Bolsas de Valores, de mercadorias e de futuros em todos os mercados do mundo e em todos os setores econômicos. As estratégias e táticas são traçadas nas sedes das grandes corporações transnacionais, dos grandes bancos, das corretoras de valores e de outras instituições, e influenciam quase todos os países. Entretanto, muitas vezes as estratégias e táticas dos dirigentes das grandes corporações, principalmente do setor financeiro, se mostraram arriscadas, gananciosas e/ou fraudulentas. Isso ficou evidente na crise econômico-financeira que eclodiu no mercado imobiliário/financeiro norte-americano em 2008.
FLUXO DE CAPITAIS ESPECULATIVOS E PRODUTIVOS
A "invasão" mais típica da globalização é a dos capitais especulativos de curto prazo, conhecidos como hot money, que em busca de alta lucratividade no curtíssimo prazo, movimentam-se com grande rapidez pelo sistema financeiro mundial conectado on-line. Com os avanços tecnológicos na informática e nas telecomunicações, o dinheiro tornou-se virtual, isto é, bites exibidos nas telas dos computadores, e passou a circular livremente.
Grande parte desses recursos pertence a milhões de pequenos poupadores espalhados, sobretudo pelos países desenvolvidos, que guardam seu dinheiro num banco ou investem num fundo de pensão, para garantir suas aposentadorias. Essa vultosa soma é transferida de um mercado para outro, de um país para outro, sempre em busca das mais altas taxas de juros dos títulos públicos ou da maior rentabilidade das ações, das moedas, etc. Os administradores desses capitais - como bancos de investimentos e corretoras de valores - em geral não estão interessados em investir na produção, cujo retorno é demorado, mas em especular, isto é, realizar investimentos de curto prazo nos mercados mais rentáveis.
Os capitais especulativos são prejudiciais às economias à medida que, quando algum mercado se torna instável ou menos atraente, os investidores transferem seus recursos rapidamente, e os países onde o dinheiro estava aplicado entram em crise financeira ou veem-na se aprofundar. Isto aconteceu, por exemplo, com o México (1994), os países do Sudeste Asiático (1997), a Rússia (1998), o Brasil (1999), a Argentina (2001) e a Grécia (2010).
Além de investirem em títulos públicos ou em moedas, grande parte dos capitais especulativos, assim como uma parcela dos investimentos produtivos, direciona-se para as Bolsas de Valores e de mercadorias espalhadas pelo mundo, investindo em ações ou mercadorias. Pode-se investir em ações de forma produtiva, esperando que a empresa obtenha lucros para receber dividendos pela valorização: ou investir de forma especulativa, comprando ações na baixa e vendendo-as assim que houver valorização, embolsando a diferença e realizando o lucro financeiro. Pode-se também especular com mercadorias e com moedas.
A circulação dos capitais produtivos é mais lenta porque são investimentos de longo prazo, por isso menos suscetíveis às oscilações repentinas do mercado. Sendo investimentos diretos na produção de bens e serviços ou em infraestrutura, esses capitais são aplicados em determinado território e possuem uma base física (fábrica, usina hidrelétrica, rede de lojas, etc.). Instalam-se em busca de lucros, que podem ser resultantes de custos menores de produção em relação ao país de origem dos investidores, baixos custos de transportes, proximidade dos mercados consumidores e facilidades em driblar barreiras protecionistas.
A EXPANSÃO DAS TRANSNACIONAIS

As transnacionais ou multinacionais são empresas que desenvolvem uma estratégia de atuação internacional a partir de uma base nacional, em seu país-sede, que é onde está seu "quartel-general". O governo do país-sede dessas empresas, em geral lhes dá o suporte econômico e político na concorrência internacional. Isso porque, embora grande parte das operações dessas empresas se dê fora do país-sede, as decisões estratégicas, o controle acionário e mesmo a maior parte dos gastos em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento) permanecem no território do país onde está sua base. Além disso, a maior parte dos lucros obtidos pelas filiais do exterior fica no país-sede, contribuindo para seu enriquecimento.
A maioria das empresas transnacionais está sediada nos países desenvolvidos, principalmente nos Estados Unidos. Entretanto, já há muitas transnacionais sediadas em países emergentes.
Algumas transnacionais cresceram tanto que possuem um faturamento maior que o PIB da maioria dos países do mundo, o que lhes assegura muito poder econômico e político. Poder econômico para controlar e manipular mercados visando ao aumento de seus lucros; poder político para interferir nos governos em benefício de seus interesses. Embora as transnacionais gerem empregos, renda e impostos nos Estados onde se instalam, muitas vezes algumas delas desrespeitam as leis que lhes são desfavoráveis e não demonstram preocupação com a saúde pública, a preservação do meio ambiente e as condições de trabalho de seus empregados.
O país emergente que mais está se expandindo pelo mundo, seja comprando empresas nacionais, seja montando novos negócios, é a China. Companhias controladas pelo governo chinês estão comprando empresas privadas no mundo todo. Portanto, a tendência é que cada vez mais empresas transnacionais de países emergentes, sejam privadas, seja, estatais, ganhem espaço no mundo globalizado.
FLUXOS DA SOCIEDADE GLOBAL
Os fluxos da sociedade global expressam-se pela grande conectividade e deslocamento de capitais, informações e pessoas por todo o planeta.
Fluxos Econômicos
Os fluxos econômicos na sociedade global apresentam-se por meio do deslocamento de capitais, empresas, mercadorias e investimentos. Com os avanços proporcionados no âmbito dos meios de transporte e comunicação, a economia mundializou-se e passou a integrar todas as diferentes partes do mundo, embora de maneira desigual e hierárquica.
Os principais fluxos que acontecem no âmbito atual do Capitalismo Financeiro e Informacional são os de capitais. Todos os dias uma quantidade muito grande de dinheiro circula em todo o mundo na forma de bits de computador, sem, na maioria dos casos, materializar-se totalmente. Na verdade, estima-se que a maior parte de todo o capital existente não se encontre mais na forma de dinheiro impresso.
Os chamados “capitais especulativos” encontram-se no centro desse processo. Muitas vezes, os investidores preferem concentrar-se em títulos, juros de dívidas públicas e privadas, ações e outros para valorização e posterior arrecadação. Com isso, o retorno é mais rápido, embora a ausência de investimentos na produção proporcione uma série de prejuízos em termos internacionais.
A circulação de “capitais produtivos” também é bastante relevante para a economia global. Ela ocorre por meio de investimentos em determinados setores da atividade econômica, tais como fábricas, comércios, lojas etc. Outra forma é o deslocamento das próprias empresas, que migram para países onde os fatores locacionais são mais vantajosos. Em algumas indústrias de empresas multinacionais, a produção é dividida em várias fábricas, cada uma localizada em uma parte do mundo, com a montagem acontecendo em um local igualmente distinto.
Fluxos de Informações
Os principais meios que permitem a difusão dos fluxos de informações são o rádio, a TV, as revistas, jornais e, principalmente, a internet. Em termos de comparação, um acontecimento importante na Europa do século XVIII levava dias ou até meses para ser informado em outros territórios. Atualmente, eventos com a mesma relevância ou até menos importantes são informados em todo o mundo quase que em tempo real.
Com isso, gera-se um acúmulo muito grande de dados e informações sobre os mais diversos elementos e acontecimentos existentes no mundo. Todavia, o acesso a esses sistemas ainda é muito limitado e desigual, de forma que a maior parte desses fluxos obedece a um círculo privilegiado de pessoas.
Fluxo de Pessoas
Por extensão aos avanços tecnológicos provocados ao longo do século XX e início do século XXI, o fluxo internacional de pessoas também vem se intensificando na era da globalização atual. A expansão desse fluxo acontece de duas formas: o turismo e a migração.
O turismo é a atividade do setor terciário que mais vem crescendo no planeta, com milhões de pessoas se deslocando todos os anos sob os mais diferentes interesses. Com isso, as cidades receptoras e também os meios de transporte vão se adequando a essa realidade, o que resulta na modernização de seus respectivos sistemas de recepção, deslocamento e hospedagem, gerando cifras milionárias em termos de lucros e produção de riquezas.
As migrações internacionais também se intensificam no planeta e configuram-se sob muitos aspectos. Muitas migram por razões humanitárias, sociais, econômicas e afetivas, muito embora existam muitas barreiras estabelecidas pelos países para conter esse processo. É muito comum a migração de pessoas de um país para outro (muitas vezes por meios ilegais) em busca de maior geração de renda e oportunidades. 
Os noticiários nos mostram todos os dias o desespero das pessoas refugiadas que fogem das guerras em busca da paz e de uma vida mais digna. Nem sempre as fronteiras são abertas para eles. Cabe aqui uma reflexão sobre os refugiados da Síria e de outros países em guerra.
Este vídeo é um resumo do texto
Fonte: SENE, Eustáquio de; MOREIRA, João Carlos. Geografia geral e do Brasil: espaço geográfico e globalização. 2 ed. São Paulo: Scipione. 2014.
http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/fluxos-sociedade-

6 de julho de 2017

Corrupção corrupção ativa e passiva

Dentro do tema atualidades, no post anterior foi abordado o tráfico de influência. Esse tema foi trabalhado em sala de aula com os meus alunos do 2º ano do ensino médio. É um tema muito atual e gostando ou não, faz parte da realidade brasileira.
Hoje trago um tema relacionado ao assunto anterior, que é o da corrupção envolvendo funcionários públicos e que pode ser passiva ou ativa. Em qualquer um dos casos, é crime.
Vamos entender o que é considerado corrupção segundo as leis brasileiras.
O que é corrupção?
Em um sentido amplo, corrupção pode ser definida como o ato ou efeito de se corromper, oferecer algo para obter vantagem em negociata onde se favorece uma pessoa e se prejudica outra. Já a corrupção política, em particular, é definida por Calil Simão como o “uso do poder público para proveito, promoção ou prestígio particular, em benefício de um grupo ou classe, de forma que constitua violação da lei ou de padrões de elevada conduta moral”.
O Código Penal brasileiro faz diferenciação entre atos de corrupção ativa e passiva.
CORRUPÇÃO ATIVA
A forma ativa do crime de corrupção, prevista no artigo 333 do Código Penal, se dá pelo oferecimento de alguma forma de compensação (dinheiro ou bens) para que o agente público faça algo que, dentro de suas funções, não deveria fazer ou deixe de fazer algo que deveria fazer.
A corrupção ativa é sempre cometida pelo corruptor, que em geral é um agente privado. Um exemplo de corrupção ativa é oferecer dinheiro ao guarda de trânsito para que ele não lhe dê uma multa (ou seja, suborno). Note que o simples ato de oferecer o suborno ao guarda já configura o crime de corrupção ativa, independente de o guarda aceitar ou não tal oferta.
A pena para o crime de corrupção ativa é de dois a 12 anos de prisão, além de multa.
CORRUPÇÃO PASSIVA
O Código Penal, em seu artigo 317, define o crime de corrupção passiva como o de “solicitar ou receber, para si ou para outros, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida, ou aceitar promessa de tal vantagem.”
Se a corrupção ativa tem a ver com o ato de oferecer a compensação ilícita, então a modalidade passiva está relacionada com o ato de receber essa compensação. Esse tipo de corrupção é cometido pelo agente público corrompido. Um exemplo para deixar esse crime bem claro: um juiz que insinua que você “pague um cafezinho” para ele, a fim de que ele acelere a análise de seu processo na justiça.
Mas note que, apesar de chamado de “passivo”, isso não significa que o corrompido não tenha algum papel ativo, por assim dizer, na prática da corrupção. Afinal, muitas vezes ele solicita a compensação para que ele deixe de fazer seu trabalho ou faça algo que não é condizente com as suas funções.
Da mesma forma como acontece com a corrupção ativa, o crime de corrupção passiva já é configurado pelo simples ato de solicitar ou receber vantagem indevida, sem que seja necessário que a pessoa solicitada atenda ao pedido.
A pena para o crime de corrupção passiva varia de dois a 12 anos de prisão (reclusão), mais multa.
Fonte: 
http://www.politize.com.br/corrupcao-ativa-e-corrupcao-passiva/
http://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/direito-facil-1/corrupcao-ativa
http://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/direito-facil-1/corrupcao-passiva
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...